Segurança de mentirinha

O aumento constante da violência no Estado de São Paulo é uma tragédia

15 de abril de 2014
O aumento constante da violência no Estado de São Paulo é uma tragédia
Por Alencar Santana Braga
Segurança-de-mentirinha 1

A cada dia que passa a sensação de insegurança do paulista cresce ainda mais. Reflexo de uma forte realidade explicita em nosso cotidiano. Você sabe muito bem do que falo.
O aumento constante da violência no Estado de São Paulo é uma tragédia.

Se compararmos o último trimestre de 2012 com o de 2013, teremos um aumento de 26,6% nos sequestros, 26,2% nos roubos de veículos, hoje cerca de 250 carros são roubados por dia. Roubos em geral também aumentaram 17,9% e os latrocínios em 15,4%. De janeiro a agosto de 2013 houveram 8.460 casos de estupros e de janeiro a setembro 3.525 pessoas foram vítimas de homicídios.

Ao mesmo tempo em que sentimos a segurança pública como uma das maiores deficiências do governo do Estado, o governador nos conta a história da Carochinha dizendo que aumentou o efetivo de Policiais Militares nas ruas, quando na verdade está considerando profissionais da área administrativa que trabalham dentro do quartel, como atendentes do 190, mecânicos, pessoal do RH, almoxarifado e logística, serviço de justiça e disciplina, setores de planejamento e tecnologia, e assessores de imprensa.

Uma manobra que o governador encontrou para “aumentar” em 14 mil o número de PMs nas ruas, como noticiado por alguns órgãos de imprensa na última quinta-feira, e enganar o povo paulista com o sentimento falso de segurança.

O que é isso?

Não bastasse a falta de planejamento do Estado para oferecer uma polícia de qualidade; A falta de investimento, tanto em pessoal, como em boa estrutura de trabalho; O descontrole no sistema penitenciário, que permite o fortalecimento do crime organizado dentro e fora das prisões; a violência nas comunidades escolares, enfatizada pela presença de traficantes que buscam, em nossas crianças, novos dependentes químicos e futuros integrantes de grupos criminosos e a falta de valorização do profissional.

Não podemos permitir que atitudes como essa, que colaboram com a epidemia da violência no Estado, dando falsa impressão de normalidade, ocorram.

É necessário seriedade na gestão pública. Precisamos de mais policiais nas ruas e garantindo uma boa segurança a você cidadão, e não números falsos e enganadores.

Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *